Nossos Parceiros e Patrocinadores. Clique aqui para anunciar nesse site

 
 
banner
mar 9, 2017
4073 Visualizações
Comentários desativados em A polícia não é a solução!
15 4

A polícia não é a solução!

Escrito por
Compartilhe:

A onda de violência não é causada pela ausência da polícia estatal, mas sim pela presença da polícia estatal.

Perceba que os crimes e o caos que assolaram o Espírito Santo, não chegam nem perto de serem tão ruins quanto o caos que o estado causa todos os dias. Some todos os prejuízos financeiros desses crimes e compare com o valor que nós pagamos em impostos. Você verá que esse valor roubado não chegará nem aos pés do roubo do imposto. Agora, quem é que te força a pagar o roubo do imposto e garante que você vai ser punido se não pagar? Exatamente a polícia estatal, a mesma que entrou em greve causando essa onda de crimes. A função dessa polícia é te desarmar impedindo você de se defender, se você se defender de um agressor que estiver invadindo sua propriedade, a polícia irá te punir. A função dessa polícia é te prender se você não pagar impostos. Ou seja, a polícia além de promover um roubo muito maior do que esse pequeno caos que aconteceu, ainda te obriga a estar indefeso, permitindo que você seja roubado por esses criminosos menores e amadores – que não são nada comparado com os ladrões e os assaltantes profissionais do estado e seu braço armado, a polícia. Nós realmente achamos que os bandidos amadores que saqueiam os supermercados são piores que o estado? O estado todo mês rouba mais de 40% de tudo que você compra no supermercado para financiar o seu aparato de coerção e nós nos calamos.

A polícia não é a solução, ela é o problema. Ela se manteve ali fragilizando a sociedade durante sua atuação, exercendo seu poder e fazendo valer a maldosa constituição, impedindo o povo de ter armas, proibindo a população de formar milícias populares e polícias privadas. Impediram que o povo aprendesse a se defender sozinho, patrocinando a agenda de engenharia social pró-bandido implantada pelo fascismo/socialismo de esquerda ou direita, cuja ferramenta de aplicação prática é a polícia estatal local. Assim, o povo sempre fragilizado, colocou sua segurança nas mãos do estado e da sua polícia, nunca assumindo a responsabilidade. De repente a polícia está em greve e temos o caos, por quê? Pois o povo não se preparou. Esse é o resultado de confiar no estado. Da mesma forma que na economia nós temos os termos técnicos “boom” (quando o estado expande o crédito) e o “bust” (quando o estado é obrigado a parar de emitir crédito), isso também acontece no campo moral. Quando existe uma polícia estatal, o povo se desacostuma de cuidar da sua própria segurança por mais ineficiente que a polícia seja. Mas quando a polícia sai, nós temos esse baque – esse “bust” -, esse período necessário de reajuste. A população começou a aprender a se defender sozinha e vimos a formação de milícias.

Observamos as pessoas se armando e caçando assaltantes na rua, com vários vídeos de pessoas atirando nos meliantes. E isso sim é o certo. Se deixarem as pessoas se armarem e continuarem caçando os assaltantes que você verá rapidamente toda essa onda de criminalidade acabando e os criminosos se cagando de medo.
Mas quem impede que isso seja feito? É o maldito estado através da sua polícia.

A solução é deixar a ordem espontânea acontecer. Insistir na polícia estatal é reforçar o erro e a intervenção do exército, a longo prazo, com certeza será pior do que deixar o povo se defender.
Os policiais estão lá, suas armas estão lá e o treinamento eles tem. Qual o problema então que impede a população de contratar esses mesmos homens para trabalhar como seguranças privados? O problema é o estado, as forças armadas e a constituição.

Por que a polícia não se divide em várias polícias concorrenciais? Por que ela não faz o serviço de proteger o povo? Por que os bons policiais não acabam com os maus policias e concorrem entre si?
Primeiro, existe um demônio engessante do mercado de segurança chamado Constituição. Os fãs do Bolsonaro, os lambedores de coturno, adoram falar que a polícia “só segue ordens”, não conseguindo enxergar que uma instituição que vive de seguir ordens de bandidos também é bandida. Se a polícia fosse uma polícia de verdade, se fossem protetores do povo, a primeira coisa que eles fariam seria meter bala nos políticos. Os soldados nazistas estão desculpados? Alguém que segue Hitler e executa suas ordens é provavelmente pior que Hitler.
Segundo, a população apóia a sua própria agressão. No momento em que você defende a existência de um estado, no momento em que você defende o roubo através de impostos e a submissão do seu semelhante sob um governo sem que ele queira, a brecha pro mal foi aberta através da sua falha moral – responsável pelos saques que aconteceram. Com a greve da polícia, a população deveria pensar em se defender, mas a primeira coisa que ela fez foi saquear os supermercados.
Deveríamos nos armar pesadamente e aproveitar que não tem polícia para fugirmos do roubo estatal. A falha moral é pior que o próprio estado. Enquanto existir uma falha moral, vai ter a polícia estatal e quando ela sair vai ocorrer o caos – e o ciclo continua.

A população é sim capaz de expulsar quem está atrapalhando a segurança, o problema é quando ela é mal acostumada e fragilizada pela existência de um monopólio estatal que impede a existência de concorrência policial. Somente o livre mercado pode ser a força motriz do próprio expurgo das polícias ruins.
Por que o policial bom não acaba com o mau policial? Pois não há concorrência.
Um dos efeitos do policiamento estatal é impedir o armamento do cidadão de bem, e na hora que a polícia estatal sai de cena, a assimetria de poder é revelada: os bandidos fortemente armados e a população indefesa.

A polícia prefere caçar pessoas honestas, pessoas que cometem ‘crimes’ sem vítima, pessoas que produzem, para que elas paguem impostos, para que elas sejam desarmadas e permaneçam indefesas para continuarem sendo agredidas e roubadas pelo estado.
Muita gente disse que esses caos foi um exemplo da ausência de estado. Não, esse problema é um exemplo da presença de estado, o fato das pessoas estarem indefesas e não poderem caçar bandidos é causado diretamente pelo estado. Esse problema mostra o resultado do estado, e não da sua ausência. Sem o estado, as pessoas honestas não iriam tolerar serem assaltadas e agredidas – nem pelo estado nem por bandidos amadores.

Por óbvio não é nada seguro argumentar com agressores e a melhor forma de pessoas honestas se defenderem e garantirem o direito legítimo de suas propriedades e de suas trocas voluntárias contra esses agressores, é através das armas.

 

Não se esqueçam de ler outro artigo meu correlacionado a esse!

E assista aos seguintes vídeos:

Alexandre Porto – Caos no Espírito Santo
Paulo Kogos – Crise no Estado do Espírito Santo
Roberto Pantoja – O Colapso do Espírito Santo
O Agorista – Não haveria terrorismo numa sociedade libertária
                    O Agorista – Armas X Drogas


Se
você ainda não tem certeza de que imposto é roubo, clique aqui.

E clique aqui para ler um artigo completo sobre o funcionamento e a gestão de sistemas de justiça e segurança numa sociedade sem estado.

Scan to Donate Bitcoin to Igor de Vasconcellos Sobrinho
Did you like this?
Tip Igor de Vasconcellos Sobrinho with Bitcoin
Powered by BitMate Author Donations
Compartilhe:
Tags dos artigos:
· ·
Categorias dos artigos:
Direito e Ética

É estudante de Cinema e Audiovisual, músico, técnico em Multimídia, adepto do Agorismo Konkinista e praticante de táticas contraeconômicas.

Você decide se quer ajudar esse site fornecendo poder de mineração enquanto navega |
Percentual de Mineração: 0%
Total de Hashes: 0 (0 H/s)
Ok + - Stop