banner
4 meses atrás
1594 Visualizações
12 0

10 reflexões sobre a desigualdade social

Escrito por
Compartilhe:

Saiu uma matéria grotesca na UOL hoje (https://goo.gl/cSk33T) citando um estudo de uma ONG em que os oito homens mais ricos do mundo possuem uma riqueza igual a da metade de população da terra, e que a única solução para promover a igualdade é aumentando os impostos e combatendo a sonegação.

Vou apresentar apenas 10 pontos para que reflitam:

1 – Empresário não paga impostos. Empresário coleta impostos e repassa os custos para o consumidor. Quem paga os impostos são os assalariados que precisam consumir.

2 – Empresário não paga direitos trabalhistas. Empresário desconta os custos dos direitos trabalhistas diretamente do salário bruto do trabalhador.

3 – Políticos se alimentam dos impostos. É dos impostos que os políticos desviam dinheiro, é dos impostos que as ONGs conseguem o dinheiro delas. São os impostos que permitem que o estado pague propagandas caras na mídia. São os impostos que alimentam todo tipo de parasita na sociedade.

4 – As pessoas ricas não são assalariadas. Vivem de coletar dividendos e vão alocar seu capital nos lugares onde tiverem a maior lucratividade. Taxar eles é impossível, eles simplesmente moveriam o capital deles em outro lugar, e afugentaria todos os outros possíveis investidores que poderiam alocar o capital no país para gerar emprego e renda.

5 – A CLT é uma forma perversa de colocar trabalhadores contra os empresários. Um exemplo para ilustrar: Se o empresário resolver fazer um acordo com o trabalhador por fora, para pagar ele diretamente um valor maior, sonegando assim os impostos e dando ao trabalhador um valor liquido muito superior, a CLT invalidaria o acordo, multaria o empresário, e ignoraria o “LTDA” da empresa dele, indo inclusive dentro dos bens pessoais dele para entregar tudo ao trabalhador. A CLT força os empresários a roubarem os trabalhadores em nome do governo, e vende a ilusão de que o trabalhador está protegido.

6 – Sindicatos se alimentam dos impostos sindicais. Eles dependem de uma CLT forte e operante para continuar roubando também os trabalhadores.

7 – O INSS é um esquema de pirâmide feito para roubar do pobre e entregar aos marajás. Um trabalhador contribui mensalmente 31% do seu salário ( 11% diretamente, e 20% indiretamente coletado pelo seu empregador ), juntando isso ao fato de que os pobres tem uma expectativa de vida de 9 anos menor do que a dos marajás ( funcionários públicos que se aposentam de forma integral com 20 a 25 anos de trabalho) e também se aposentam 10 anos mais tarde, recebendo pelo teto da aposentadoria, enquanto os marajás recebem o valor integral. Não existe um esquema tão perverso e tão descaradamente injusto quanto o INSS. E isso não é exclusividade do Brasil, praticamente todos os países que possuem sistema de previdência pública, possuem marajás.

8 – Ao contrário do que se imagina, grandes empresas apoiam impostos elevadíssimos e um sistema de combate a evasão fiscal eficiente além de apoiarem também um complicado sistema tributário que dificulte a vida de todos os outros empresários que não possuem dinheiro para financiar políticos ou contadores. Além disso, políticos adoram grandes empresários, pois eles só precisam receber a propina de apenas uma única empresa. O resultado é sempre o mesmo, as leis e regulamentações são criadas para favorecer os grandes e perpetuar o sistema como forma de favor pelo dinheiro que eles pagam.

9 – Quando não existe competição, se criam monopólios, e com monopólios vem o alto custo, péssimo atendimento/serviço/produto, e principalmente corrupção. O sistema judiciário não possui competição alguma e tem o monopólio da lei garantido pelo governo. É formado por marajás que estão muito mais preocupados com suas carreiras, salários e benefícios gordos como suas aposentadorias do que com o trabalho em si, uma vez que eles possuem o monopólio. O resultado é um sistema lerdo, e injusto, que favorecem os estelionatários, quebras de contrato, e os criminosos que possuem dinheiro para pagar advogados. Sem um sistema judiciário eficiente, se elimina tanto segurança nas ruas, quanto também a segurança jurídica que regem os contratos, afugentando assim empresas e investidores. Porém não adianta, não existe eficiência ou busca pela excelência se não existir competição. Sociedades prósperas são as que possuem Common Law e um sistema de arbitragem independente, onde os tribunais privados não tem suas decisões revertidas pelos burocratas do sistema judiciário monopolizado estatizado.

10 – A mídia, financiada pelas grandes empresas e políticos, realiza propagandas exaustivas na televisão para vender a imagem de que os países desenvolvidos são prósperos porque os impostos são utilizados de maneira séria, onde não tem corrupção e onde a democracia é bem estabelecida, passando a ilusão de que basta as pessoas votarem certo que tudo irá se resolver. Esta visão acaba se tornando o status quo em que todos vivemos, uma verdadeira distopia que mata 60 mil brasileiros por ano pela violência, e inúmeros mais de doenças simples que poderiam ser cuidadas se as pessoas tivessem dinheiro no bolso para se tratar e não tivessem de depender dos políticos para ter uma saúde pública deplorável.

Por fim, concluo que imposto é roubo, e roubar as pessoas para fazer caridade não irá fazer as pessoas mais ricas ou mais iguais, irá apenas fazer as pessoas mais pobres e sem esperanças de algum dia serem prósperas, e fazerem os políticos e burocratas mais ricos e prósperos. Sonegação é legítima defesa.

 


Postagem original aqui

Autor: Rodrigo Souza

Compartilhe:
Tags dos artigos:
·
Categorias dos artigos:
Libertarianismo
banner
Foto de perfil de Diversos Autores

Espaço reservado para autores diversos.

Comentários para 10 reflexões sobre a desigualdade social