Nossos Parceiros e Patrocinadores. Clique aqui para anunciar nesse site

 
 
banner
set 3, 2018
169 Visualizações
Comentários desativados em O ponto de vista de um tirano
4 0

O ponto de vista de um tirano

Escrito por
Compartilhe:

É fácil imaginar que as pessoas que estão “no poder” sabem de tudo o que está acontecendo e conseguem fazer tudo o que elas quiserem. Mas isso não é verdade. É comum os próprios libertários fazerem um disserviço a eles próprios e a outras pessoas ao superestimar o poder que a classe de parasitas tem. Afinal de contar, se as pessoas boas acreditam que a classe dominante sabe de tudo e pode fazer qualquer coisa, elas provavelmente irão se auto-censurar e se auto-limitar, por temerem que os governantes possam aniquilá-los caso eles fizerem ou disserem algo fora da linha. A ironia é que se um aspirante a tirano conseguir fazer com que as pessoas pensem dessa maneira, e acreditem que isso é a realidade, então ele não precisa fazer mais nada para realmente conseguir o poder. Se o povo puder ser assustado ao ponto de ele se tornar obediente, silencioso e passivo, então realmente não importa se aquilo que eles temem realmente é verdadeiro ou não.

Ao mesmo tempo, subestimar a maldade e o poder daqueles no “governo” também pode ser perigoso.  Então compete às pessoas boas descobrir o que os malucos no poder são capazes e o que eles não são capazes de fazer. E para que uma pessoa comum entenda a realidade da situação, é útil olhar para o mundo a partir do ponto de vista do político sociopata. Sim, ele pode ter um financiamento quase ilimitado e uma horda de cidadãos obedientes que irão fazer estupidamente tudo o que ele disser para eles fazerem. Mas ele sempre estará em um número infinitamente menor do que o número de pessoas que ele tenta oprimir. Por exemplo, se você é um tirano e está tentando controlar os EUA, você terá que continuamente extorquir e controlar mais de trezentas milhões de pessoas, dentre as quais cem milhões estão armadas. E nenhum exército na terra conseguiria fazer isso apenas através da força bruta.

É por isso que, para um aspirante a tirano, a propaganda é fundamental. Você precisa fazer com que a maioria das suas vítimas – quero dizer, seus “cidadãos” – acreditem que você tem o direito moral de dominá-las a força, e você precisa fazer com que elas acreditem que você está escravizando-as para o seu próprio bem. Mas sempre existiram alguns que não são idiotas o suficiente para acreditar na sua propaganda. Esses você tem que fazê-los acreditar que a “resistência é fútil”; eles precisam acreditar que você sabe de tudo e que é todo-poderoso. Se eles descobrissem que eles são muito mais numerosos do que você e que eles tem muito mais armas do que você, e decidissem iniciar uma revolta – ou simplesmente ignorá-lo – você basicamente não teria os recursos necessários para dominá-los.

Imagine-se você mesmo como um parasita político de uma classe inferior – digamos, o governador do seu estado – e que você está andando em sua limosine chique na maior cidade do estado. O que você vê? Pessoas, pessoas, pessoas e mais pessoas. Você não sabe o que elas pensam, o que elas conhecem, no que elas acreditam. Você não sabe como é o dia-a-dia de cada uma delas.

A idéia de você subjugar todas elas é absurdamente ridícula, a menos que você consiga enganá-los para fazer com que eles mesmos subjuguem-se a si próprios. Parece impossível? Bem, seria impossível se as pessoas fossem racionais e objetivas, mas a maioria delas não é. Então você pode fazer alguma coisa nesse sentido:

1) Exija dinheiro de todas elas, mas, ao invés de chamar isso de extorsão (que é o que você realmente está fazendo), chame isso de “lei” e “impostos”. E não se esqueça de dizer que você está exigindo o dinheiro delas para o próprio bem delas. Mas você não fazer com que pareça que elas estão apenas entregando o dinheiro delas para você. Ao invés disso, diga para as pessoas que ao pagarem as suas taxas de extorsão elas estão “contribuindo para a sociedade” e para o “bem comum”. Sim, eu sei que isso parece uma desculpa esfarrapada, mas a maioria delas irá acreditar nisso.

2) Pegue alguns de seus escravos e coloque-os para roubar os demais. Diga para eles que eles são bravos e nobres ao “aplicar a lei” (extorquir os seus semelhantes). Diga para ambos, tanto para os agentes da lei quanto paraas suas vítimas, que deixar de entregar dinheiro para você (pagar impostos) é um pecado e um crime. Sim, novamente, eu sei o quão estúpido isso parece, mas confie em mim, a maioria deles irá acreditar nessa lenga-lenga.

3) Pegue o dinheiro que você roubou de seus escravos e contrate alguns deles para forçar os demais a obedecer as suas vontades. Obviamente você não tem a capacidade física para dominá-los, então você vai ter que enganá-los para fazer com que eles dominem a si próprios. Então você deve pegar um pouco do dinheiro que você roubou dos seus escravos e devolver para eles através de “educação pública e gratuita”. Use essas escolas e universidades públicas para ensiná-los que a obediência a você e a seus capangas – aquilo que você chama de “obedecer a lei” – é uma virtude, e que desobedecer as leis que você criou é um crime e um pecado. Sim, novamente, eu sei o quão idiota tudo isso parece, mas eles realmente vão continuar acreditando em você.

Eu poderia continuar com minhas dicas, mas espero que você tenha entendido a mensagem. A tirania moderna é baseada 99% em doutrinação e apenas 1% em força bruta, que será usada contra aqueles poucos nos quais a sua doutrinação não funcionou. Mas embora isso pareça confortável, ao mesmo tempo isso significa que, na realidade, a tirania é algo extremamente vulnerável. Se a sua propaganda vir a falhar e as pessoas não enxergarem mais legitimidade nas coisas que você fala, você perderá tudo o que conquistou até agora e terá que lidar com milhões de ex-escravos enfurecidos. A partir do momento em que eles não enxergarem você como “autoridade”, você não será mais uma autoridade. E este será o dia em que você provavelmente morrerá.

Sim, através de seus capangas irracionais (os policiais e soldados), os parasitas políticos tem a habilidade de machucar ou até mesmo matar alguns indivíduos salientes. Mas eles tem que ser cuidadosos ao fazer isso. Eles precisam fazer isso na medida exata para assustar o restante dos revoltados e torná-los obedientes, mas sem desencadear uma revanche de pessoas enfurecidas. É a mesma dinâmica do valentão que faz bullying na escola: de vez em quando agrida algum fracote, de maneira que as outras crianças permaneçam com medo de você e das coisas que você diz. Mas não tente bater em todos fracotes ao mesmo tempo, e não faça coisas tão intoleráveis que eles não tenham nada a perder se reunindo para lhe encher de porrada.

Incidentalmente (e isso pode incomodar um monte de alarmistas pró-liberdade), o espectro da “lei marcial” nacional é uma piada total. Apenas faça as contas e descubra o número de soldados, tanques, armas, etc. que seriam necessários para criar todo o clichê de um país com “soldados marchando por todo o lugar e assediando todo mundo”, quando se leve em consideração que os EUA possuem mais de 300 milhões de pessoas espalhadas em diversos milhões de quilômetros quadrados. Sim, eles podem fazer isso em uma escala muito pequena, em algum grau, se eles focarem a maior parte de seu pessoal e equipamentos em uma pequena área em um determinado período.

Mas é ridiculamente impossível que “aqueles no poder” pudessem fazer isso em escala nacional. Mesmo que fossem mobilizados todos os agentes da lei nos níveis municipal, estadual e federal, e mesmo que todas as 150 bases militares norte-americanas espalhadas no mundo fossem mandadas de volta para fazer a “defesa doméstica” (o que nunca iria acontecer), e mesmo que eles chamassem todos aqueles que estão na “reserva”, e mesmo que todas essas pessoas concordassem em dominar e oprimir violentamente seus conterrâneos, e mesmo que eles estivessem mobilizados 24 horas por dia (o que é praticamente impossível)… todas essas forças combinadas ainda seriam 100 vezes menos numerosas do que os americanos que não fazem parte da polícia e das forças armadas. Estude cuidadosamente o gráfico abaixo, representando a população dos EUA, até que você realmente compreenda a realidade da situação:

Concluindo, seria bom que os libertários entendessem e se lembrassem o quanto do poder político depende de táticas de medo e enganação, e quão pequeno é o poder físico que os políticos realmente tem em comparação com a população em geral. Uma demonstração desse fato é que, se todo mundo simplesmente ignorasse a Receita Federal (IRS), sem que sequer tentassem resistir, todo o sistema de cobrança de “impostos” iria ruir. Ele só funciona agora porque as pessoas roubam a si mesmas (as pessoas aceitam preencher formulários de declaração de imposto de renda e enviar dinheiro para a receita), e roubam umas às outras (quando pedem ou vendem com nota fiscal). Cada pessoa tem medo de ser punida se ela for a única que resistir, mas se todas elas desobedecessem juntas, não haveria um grande confronto dramático. Toda a ilusão do poderoso “leão” iria simplesmente evaporar. Duzentos milhões de ex-“contribuintes” simplesmente não iriam mais prestar atenção às centenas de milhares de bandidos pagos da receita, e isso levaria ao seu fim. Eles não teriam nem de perto os recursos para processar sequer 0,1% daqueles que os desobedecessem (o que seria cerca de 200.000 pessoas). E quando eles tentassem processar alguém, eles iriam perder, visto que os tribunais também seriam compostos por ex-vítimas obedientes da extorsão.

“Todo esse estrago, toda essa desgraça e toda essa ruína vem de vocês, e não de seus inimigos estrangeiros, mas daquele inimigo que vocês próprios consideram como todo-poderoso… Onde ele adquiriria os olhos para vigiá-los, se vocês mesmos não os fornecessem? Como ele poderia ter tantos braços para agredi-los, se ele não tivesse como tomar alguns braços emprestados de vocês? De onde mais ele tiraria os pés que pisoteiam as suas cidades, se não fossem de vocês mesmos? Como ele teria adquirido qualquer poder, se não fosse através de vocês? Como ele ousaria atacá-los, se ele não tivesse a cooperação de vocês? O que ele poderia fazer, se vocês próprios não fossem coniventes com o ladrão que lhes rouba, se vocês não fossem cúmplices do assassino que os mata, se vocês não fossem traidores de si mesmos? … E de todas essas coisas indígnas, que nem os próprios brutos seriam capaz de tolerar, você podem se libertar delas se vocês tentarem, não através da tomada de ações, mas simplesmente querendo ser livres. Decida não ser mais um escravo, e então você será livre. Eu não peço para que você empurre ou derrube o tirano para tirá-lo de lá, mas simplesmente peço para que você pare de apoiá-lo; e então você irá vê-lo cair com seu próprio peso e quebrar em diversas migalhas, assim como uma grande estátua cujo pedestal foi puxado.” – Étienne de La Boétie (1548)

Então é isso que acontece com todos os “governos” e todas as “leis” estúpidas feitas pelos homens: as pessoas estão escravizando e oprimindo a si mesmas e como consequência estão sendo enganadas em enxergar os tiranos como “autoridade”, ao invés de aquilo que eles realmente são: parasitas imorais. Assim que essa mentira desaparecer da mente das pessoas, elas não precisarão sequer lutar contra alguém ou derrubar alguém. Os agentes da lei também são vítimas dessa mentira. E se eles pararem de acreditar nela, o ex-tirano será abandonado sozinho, chorando em um canto, refletindo como um maluco, sobre quão importante ele é e como todo mundo deveria obedecê-lo. E ninguém iria ligar para isso…

Traduzido e adaptado do original escrito em 7 de janeiro de 2017.

Compartilhe:
Categorias dos artigos:
Blog

É um ativista libertário que ficou preso por questionar a receita federal americana.

Você decide se quer ajudar esse site fornecendo poder de mineração enquanto navega |
Percentual de Mineração: 0%
Total de Hashes: 0 (0 H/s)
Ok + - Stop